Written by

Para onde vai o amor quando o relacionamento acaba?

Sylvia Responde| Views: 32

  A essa pergunta, que postei no Facebook e no IG, recebi várias repostas. Reproduzo abaixo um resumo: – vira ódio/ doença, oscila entre amor/ódio – vira amor próprio – dá espaço para outros amores – vira amizade e reconhecimento por tudo que viveram  
Vinicius de Moraes fala disso em sua canção, O amor em paz*:

“porque o amor é a coisa mais triste quando se desfaz”

Para onde foi o amor? Acabou? Acabou tudo?! Os projetos, a alegria, a paixão, as promessas, para onde?

Que lugar é esse onde só há ódio, indiferença, malquerer... Que invasão é essa de pensamentos tenebrosos, negativos, destrutivos?

Que lugar é esse onde só há tristeza, lágrimas, desesperança, desamparo, solidão?

Alguém morreu?

Sim, algo morreu. Morreu o amor que nos unia; o fio que nos ligava, partiu-se.




Um cemitério de amantes abandonados pelo amor.




Como lidar com essa dor? Como lidamos com a morte?

Só pelo luto.

Só pelo trabalho do luto, nos diz Freud.

Sim, trabalho.

O luto é a perda de interesse pelo mundo externo, o afastamento das atividades normais da vida, inibição da vontade, desejo de estar perto do objeto que foi perdido.

Qual o trabalho que o luto realiza?

A realidade mostra que o objeto amado não existe mais, que é necessário retirar todos nossos desejos, expectativas e projetos que estavam depositados no outro.

Pouco a pouco, com muita dor, esse desligamento é realizado, pouco a pouco nos damos conta de que perdemos o objeto de amor.

Pouco a pouco, tudo o que estava depositado lá, volta para nós.

O trabalho de luto é um mergulho fundo na tristeza e na dor.

Um mergulho corajoso na reflexão, na aceitação da realidade: o objeto foi perdido.

Na coragem e no esforço para sair de uma posição de vitimização, pois é mais fácil ficar com as  queixas e lamentos do que enfrentar a realidade: aquele amor, acabou.

E agora, como você se posiciona diante desse fato?

Um mergulho necessário, fundo e intenso, para podermos emergir e voltar para a vida.




Recomendo dois filmes, dois destinos para o amor perdido:

- O Amor, de Roberto Rossellini, com Anna Magnani 

https://www.youtube.com/watch?v=78KPiLDxfFo

 

 - Villa Amalia, de Benoit Jacquot, com Isabelle Hubert

http://tinyurl.com/muejvte

https://www.youtube.com/watch?v=J_r7hAk5HK0




* https://www.letras.mus.br/vinicius-de-moraes/87200/


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *