Written by

A perigosa atração pelo amor impossível

Sylvia Responde| Views: 131

Por que muitas mulheres insistem em amar com intensidade surpreendente homens que não lhes correspondem? Uma leitora respondeu: ” Talvez porque tudo aquilo que é fácil de conquistar não nos satisfaça, mas tudo o que é difícil, complicado, às vezes impossível ou mortal, nos fascina! Por que amar o impossível? Porque não existe essa palavra no dicionário do coração! ”  Reposta intrigante a da leitora: ela aposta no difícil, no complicado, no impossível, no mortal, é isso que a fascina. E arremata: “ a palavra impossível não existe no dicionário do coração”. Ou seja, acredita que tenha feito uma escolha amorosa comandada pelo coração. Que opção é essa? De saída, um grande desafio! Com sofrimento garantido. Entramos em um campo que Freud, o pai da psicanálise, conhece bem: muitas mulheres são atraídas por homens que, de cara, enviam uma mensagem: “comigo ninguém pode”. Elas fazem de tudo para seduzi-los, sentem-se estimuladas a entrar no jogo: o homem é um opositor, um inimigo a ser vencido. O que a mulher deseja é inalcançável, mas ela insiste, apostando no sonho irrealizável, ou seja, mudar o homem de acordo com seus desejos e necessidades. Trata-se de medir forças? De rivalidade? Podemos apostar que se a mulher conseguisse uma relação tal qual deseja com o homem impossível, ela o desdenharia. O relacionamento torna-se um campo de batalha onde ela, de saída, sabe e “deseja” perder, pois se ganhar, perde interesse. Se por algum golpe de sorte vencer um combate, o desprezo pelo companheiro é imediato. O objetivo não é transformar o homem em um companheiro, é medir forças. Cada encontro é um embate mortal. É como um lutador sempre à procura do título de campeão: cada luta vencida deixa um nocauteado. Ao próximo! O que move essa mulher é o desafio do inatingível: garantia de decepção constante, tormento, queixas infindas. Ela sofre muitíssimo, mas não sabe que o que a faz sofrer é seu desejo inconsciente de dominar e derrotar o homem que escolheu como companheiro. Seu oponente não está fora, mas dentro dela. Estranho, não? O inconsciente tem razões que a própria razão desconhece. Procurar ajuda para descobrir o que a impulsiona para esse tipo de envolvimento economizaria sofrimento e decepções. Descobriria que não é o coração que a move, e sim questões que desconhece, e que precisaria resolver para poder, finalmente, encontrar um homem a quem possa amar. Recomendo um filme: A Guerra dos Roses https://www.youtube.com/watch?v=YeZkTB2NSO4 https://megafilmes.club/comdia/7582-a-guerra-dos-roses.html    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *